Poucos aprenderam Matemática em 2013

Poucos aprenderam Matemática em 2013

Apenas 9,3% dos alunos do Ensino Médio aprenderam o adequado em matemática em 2013

No entanto, percentual de alunos proficientes em português e matemática no 5º ano cresceu

Apenas 9,3% dos alunos do Ensino Médio aprenderam o adequado em matemática em 2013

João Bittar/MEC

Do Todos Pela Educação  23 de dezembro de 2014

Levantamento feito pelo Todos Pela Educação (TPE) com base na proficiência dos alunos nas avaliações da Prova Brasil e do Saeb realizadas em 2013, mostra que somente 9,3% dos alunos do 3º ano do Ensino Médio aprenderam o considerado adequado pelo movimento em Matemática, e 27,2% em Português. Os números são menores do que os verificados em 2011, então respectivamente 10,3% e 29,2%. Os dados fazem parte do monitoramento da Meta 3 do Todos Pela Educação – Todo aluno com aprendizado adequado ao seu ano. Em ambas as disciplinas o país ficou abaixo da meta intermediária* definida pelo TPE para o ano de 2013, que eram de 28,3% em Matemática e 39% em Português.

No Ensino Fundamental, o 5º ano apresentou uma melhora. Passou de 40% de alunos com aprendizado adequando em Português em 2011, para 45,1% na última avaliação, e de 36,3% em Matemática, para 39,5%. Contudo, o avanço não foi suficiente para atingir as metas intermediárias em Língua Portuguesa (47,9%) e Matemática (42,3%).

Já no 9º ano do EF, o percentual de alunos com aprendizado adequando em 2013 foi de 28,7% em Português, acima do verificado em 2011 (27%). Em Matemática, porém, o indicador caiu de 16,9% para 16,4%. As metas intermediárias para 2013 para essa etapa eram de, respectivamente, 42,9% e 37,1%.



O movimento considera que tem aprendizado adequado o aluno que atinge ou supera as seguintes pontuações para cada disciplina em cada ano avaliado.
 

 

Língua Portuguesa

Matemática

5º ano do Ensino Fundamental

200

225

9º ano do Ensino Fundamental

275

300

3º ano do Ensino Médio

300

350

5º do no Ensino Fundamental
No 5º ano do EF, as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul atingiram as metas para 2013 tanto em Português como em Matemática, e Norte e Nordeste, mesmo tendo metas menores, ficaram abaixo de desempenho esperado. Em relação aos estados, 15 deles cumpriram as metas em Português e 13 em Matemática. Apenas 12 estados atingiram as metas em ambas as disciplinas. Somente 3 estados atingiram essas metas desde 2007: Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Norte.

Quando se comparam os dados entre os estados, as desigualdades regionais são evidentes nos indicadores de aprendizagem. No 5º ano do EF, por exemplo, enquanto o Distrito Federal, unidade da federação com maior desempenho, teve 60,8% dos alunos com proficiência adequada em Português, o Maranhão, estado com menor desempenho nessa disciplina, teve apenas 23,4%. Em Matemática, a diferença do percentual de alunos com aprendizado adequado no 5º ano dos estados com maior e menor desempenho, respectivamente Paraná (55,8%) e Amapá (15,6%) é ainda maior: 40,2 pontos percentuais.


 
  
9º ano do Ensino Fundamental
Em relação ao 9º ano do EF, todas as regiões e estados ficaram abaixo das metas intermediárias e as disparidades também são grandes nessas etapas. Entre os estados com maior e menor desempenho em Português, Minas Gerais (38,3%) e Alagoas (15%), e Matemática, Minas Gerias (25%) e Amapá (5,2%), no 9º ano do EF, a diferença em pontos percentuais é de 23,3 e 19,8, respectivamente. Em 2011, 6 estados tinham atingido as metas intermediárias para Português no 9º ano do EF, e 1 para Matemática.

3º ano do Ensino Médio
No 3º ano do EM, o estado com maior desempenho nos indicadores (Distrito Federal, com 40,2 %) tem 28 pontos percentuais a mais de alunos com aprendizado adequado em relação ao estado com o menor desempenho (Maranhão, 12,2%) em Português. Já em Matemática, a diferença entre o maior percentual alcançado (Distrito Federal, com 17%) e o menor (Roraima, 2,7%) é de 14,3 pontos percentuais. Em 2011, 12 estados haviam atingido as metas intermediárias para Português, e nenhum em Matemática.

 



* Sobre as metas do Todos Pela Educação
O TPE, fundado em 2006, definiu 5 Metas para que até 2022, ano do bicentenário da independência do país, o Brasil garanta a todas as crianças e jovens o direito à Educação de qualidade. São elas:

Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola
Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos
Todo aluno com aprendizado adequado ao seu ano
Todo jovem de 19 anos com Ensino Médio concluído
Investimento em Educação ampliado e bem gerido

Também foram definidas pelo movimento metas intermediárias para permitir um acompanhamento periódico dos indicadores. No caso da Meta 3, é considerado a meta é considerada não atingida se o limite superior do intervalo de confiança do índice observado estiver abaixo da meta. Caso a meta esteja dentro do intervalo de confiança, considera-se que ela foi atingida, e se o limite inferior do intervalo de confiança do índice observado estiver acima da meta, ela é considerada superada. O Todos Pela Educação considera adequado o percentual que atingiu ou superou a meta.

 




ONLINE
9