Nota dos estudantes

Nota dos estudantes

O Comando Estudantil das Escolas Ocupadas deliberou na assembleia extraordinária a construção de um grande dia de lutas construído pelos estudantes secundaristas. Nessa segunda-feira (13/06) vai ter muita luta. Dia D - OCUPA TUDO!

10/06/2016 - Proposta para desocupação

07/06/2016 - Carta compromisso

07/06/2016 - Manifestação sobre Ocupações



NOTA DOS ESTUDANTES APROVADA EM ASSEMBLEIA

Nós, estudantes secundaristas do movimento de ocupação das escolas do RS lamentamos o posicionamento do governo do estado de declarar unilateralmente encerrada a sua disposição ao diálogo com os estudantes gaúchos. Desde o começo nos mobilizamos em defesa de nossa escola, por isso sempre estivemos abertos ao diálogo.

Porém, em suas respostas o governo do estado tem sido negligente no que diz respeito a nossas reivindicações. Por que não nos ouvir? Por que não priorizar nossa educação?

Nesse sentido, afirmamos:

1 – Entendemos que o aceite da proposta dos estudantes de uma Comissão de Fiscalização para acompanhamento das obras emergenciais de infra-estrutura é um avanço, embora tanto o valor de R$ 40 milhões (o que geraria somente R$ 16 mil para cada uma das 2.500 escolas estaduais de ensino fundamental e médio) quanto o prazo para apresentação de um cronograma somente ao final do mês são insuficientes.

2 – Da mesma forma, reafirmamos o entendimento de que as reivindicações estudantis são justas, razoáveis e realizáveis pelo Governo do Estado, não devendo agentes públicos e membros da sociedade civil incitar qualquer tipo de antagonismo violento entre estudantes, pais e professores. Também é essencial que o Governo do Estado cumpra com a promessa de não realizar qualquer tipo de retaliação aos estudantes em virtude do movimento de ocupações e que sejam imediatamente anuladas as transferências de alunos ocupantes realizadas por Coordenarias Regionais de Educação.

3 – Quanto ao cardápio e valores de repasse para a merenda escolar, a proposta de fiscalização severa é bem-vinda e será reforçada permanentemente pela comunidade escolar, pois a falta de alimentação digna e adequada é a realidade da maioria das escolas do RS.

4 – quanto à nomeação e contratação de professores, o movimento estudantil está disposto a fazer uma força tarefa e elencar as principais demandas de profissionais para apresentação ao Governo do Estado, mas entendemos que essa é uma tarefa do próprio governo do estado.

5 – Quanto aos Projetos de Lei, entendemos que a resposta do Governo é evasiva e não contempla a comunidade estudantil. Queremos um posicionamento público do Executivo contrário à censura prévia de estudantes e profissionais da educação pretendida pelo PL 190/15, auto-denominado “Escola sem Partido”. Da mesma forma, exigimos a retirada imediata do PL 44/16, de autoria do Governo, que visa a privatização, por via transversa, da educação e dos serviços públicos do Estado. Queremos uma escola pública livre de patrulhamentos ideológicos, gratuita e de qualidade!

Por fim, chamamos todos os estudantes secundaristas do estado do Rio Grande do Sul para ocupar mais escolas e construir nesta segunda-feira, o dia D das ocupações. O ultimato é dos Estudantes, não do Governo do Estado!




ONLINE
7