Proposta para desocupação

Proposta para desocupação

Governo faz segunda proposta para desocupação

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc) elaborou ontem uma segunda proposta para que os estudantes desocupem as escolas. De acordo com o documento de duas páginas, trata-se do encerramento das negociações com os alunos – elas devem ser retomadas só depois da liberação dos prédios. Na audiência de conciliação que reuniu representantes do governo do Estado e de estudantes no Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (Cejusc), na quarta-feira, o secretário Luís Antônio Alcoba de Freitas recebeu uma pauta de reivindicações.

A Seduc se compromete a instituir um fórum de melhoria da educação pública, denominada Farol do Futuro, com a participação da sociedade e dos estudantes, além de “encaminhar de imediato a nomeação ou contratação” de professores para suprir as vagas em aberto identificadas pelas Coordenadorias Estaduais da Educação (CREs) por meio de solicitações das equipes diretivas dos colégios. Nas reivindicações entregues ao secretário, não há uma relação de escolas, disciplinas e níveis que apresentam carências.

SEM MENÇÃO À VERBA PARA MERENDA ESCOLAR

Em relação à liberação de recursos para obras emergenciais, o governo diz acreditar que a proposta de repasse de R$ 40 milhões é condizente com as possibilidades imediatas de recursos financeiros e que o orçamento de 2016 para a área é de R$ 230 milhões. Não há menção no documento a aumento de verba para a merenda escolar.

A retirada do PL 44/2016 não é confirmada, mas está dito que não será requerido em regime de urgência ou submetido à votação em 90 dias. O conteúdo completo da carta pode ser conferido em zhora.co/cartagov.

 

http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a5924731.xml&template=3898.dwt&edition=29121&section=3593  




ONLINE
5