VI Confintea

VI Confintea

CNTE debate valorização dos profissionais da educação na VI Confintea

Publicado em Quarta, 27 Abril 2016 

Marta Confintea

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) participou da VI Conferência Internacional de Educação de Adultos (Confintea Brasil +6). O evento acontece de 25 a 27 de abril, em Brasília.

O Coordenador do Fórum Nacional de Educação (FNE) e Secretário de Assuntos Educacionais da CNTE, Heleno Araújo esteve na cerimônia oficial de abertura do evento.

“Esse seminário tem papel fundamental de fazer um levantamento das nossas conquistas dos últimos anos, apontar os caminhos e voltar para o local onde nós atuamos para fortalecer as nossas ações e continuar nesse processo de avanço, pelo direito à educação, qualidade social e que passa ainda necessariamente pela valorização dos profissionais da educação”, ressaltou.

A secretária geral da CNTE, Marta Vanelli, participou, da roda de conversa sobre “Boas Práticas de Valorização dos Profissionais da Educação”. De acordo com a secretária, as iniciativas da CNTE valorizam todos os profissionais de educação e não somente os docentes de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Entre essas iniciativas Vanelli destacou, o piso salarial, a formação profissional e as diretrizes nacionais de carreia.

Unir a dimensão técnica-profissional à educação oferecida na vida adulta e pensar a formação de professores com uma pedagogia específica para essa modalidade de ensino. Essas foram algumas das novas ações anunciadas pelo Ministério da Educação (MEC) para a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Queremos trabalhar a ideia Pronatec-EJA e não mais separar essas duas dimensões, a formação técnico-profissional, a qualificação profissional, motiva os trabalhadores a voltar à escola, a voltar a estudar, e eles podem concluir os anos iniciais, os anos finais, e o ensino médio com uma formação”, disse o ministro da educação, Aloizio Mercadante.

Para Juçara Vieria, do comitê editorial da Revista Retratos da Escola, da CNTE, “o evento é muito importante, pois permite a troca de conhecimento entre aqueles que são os grandes atores da educação no país, os estudantes e os trabalhadores em educação”, afirmou.

Representantes de organismos internacionais, como o gerente do Instituto da UNESCO para a Aprendizagem ao Longo da Vida, Werner Mauch, e a secretária Geral do Conselho Internacional de Educação de Adultos (ICAE), Katarina Popovic, elogiaram o comprometimento do governo brasileiro com a inclusão de jovens e adultos na escola.

De acordo com a secretária geral da Federação Uruguaia do Magistério, Elbia Pereira, neste momento nos países da América-latina, existe uma presença marcante de tudo que está o relacionado a jovens e adultos. “Por isso, é necessário que todos os jovens que sofrem uma situação de atraso educativo estejam dentro do sistema. E para que isso ocorra, devem existir políticas públicas, visando garantir que esses jovens e adultos tenham uma educação ao longo de toda sua vida”, destacou.

A conferência reuniu cerca de 600 pessoas, entre professores, representantes de movimentos e pesquisadores, além de gestores de instituições ligados à educação dessa parcela da população na África, América Latina, Ásia e Europa.

 

http://www.cnte.org.br/index.php/comunicacao/noticias/16447-cnte-debate-valorizacao-dos-profissionais-da-educacao-na-vi-confintea.html  




ONLINE
9