Reintegração de posse amanhã

Reintegração de posse amanhã

Brigada Militar não fará reintegração de posse no Caff nesta quinta

Cumprimento da ordem judicial será apenas na manhã desta sexta-feira

BM só fará o cumprimento judicial na manhã desta sexta | Foto: Alina Souza

BM só fará o cumprimento judicial na manhã desta sexta | Foto: Alina Souza

* Com informações da repórter Samantha Klein 

 

O Comandante do 9° Batalhão da Polícia Militar (9ºBPM), Marcus Vinicius, garantiu que não haverá reintegração do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) na noite desta quinta-feira. De acordo com o comandante, mesmo que a BM seja notificada, a tendência é que haja apenas o cumprimento da ordem judicial na manhã desta sexta-feira.

No final da tarde desta quinta-feira, a juíza de Andréia Terre do Amaral, da 3ª Vara de Fazenda Pública do Foro Central determinou a desocupação total das dependências do prédio. Em caso de descumprimento da decisão, será aplicada multa diária de R$ 50 mil.

Manifestantes forçam entrada

Ainda no início da noite desta quinta, uma manifestação que ocorria no Centro de Porto Alegre se dirigiu até ao Caff e tentaram forçar a entrada. A Brigada Militar já estava no local alegando ser apenas para evitar a invasão dos manifestantes no local. Segundo informou o coronel Mário Ikeda, do Comando de Policiamento da Capital (CPC), o efetivo não ficará para a reintegração do Caff.

Os manifestantes devem ficar em frente ao Caff em apoio aos professores que ocupam o lugar. 

Deputados vão acompanhar ação da Brigada Militar

Durante a tarde desta quinta, os deputados Pedro Ruas (PSol) e Adão Villaverde (PT) foram até o Caff para garantir que a Brigada Militar não usasse a força para desocupação do local. Em seguida, retornaram à Assembleia Legislativa para discutir com representantes do governo sobre as reivindicações do Cpers/Sindicato.

 

De acordo com Ruas, o governo se comprometeu a comunicar os deputados sobre o momento que a Brigada Militar irá ao Caff. Ruas e Villaverde afirmaram que irão junto a outras parlamentares acompanhar a ação da BM para garantir que não haja agressão aos professores.

Desde a última segunda-feira um grupo de cerca de 50 professores ligados ao Cpers/Sindicato ocupa e bloqueia o acesso ao local. Na decisão, é permitida a manifestação de forma pacífica apenas nas áreas exteriores ao prédio.

A decisão

Na decisão, a juíza ressalta que os serviços no Centro Administrativo vêm sofrendo prejuízo inestimável à prestação dos serviços públicos para a população. "De fato, como já referi repetidas vezes, a relevância da pauta política levada a efeito pelos requeridos não se pode sobrepor à importância de todas as atividades que são desenvolvidas no local que concentra grande parcela da Administração Pública do Estado", considerou ela: "A manifestação dos requeridos é legítima, conquanto não obstaculize o acesso aos prédios públicos afetando o direito de ir e vir de servidores e população que ali transita".




ONLINE
14