Quem luta, educa!

Quem luta, educa!

Quando ocupam escolas, estudantes estão dando uma verdadeira aula à sociedade

Brasil de Fato - Rio de Janeiro,

Há cerca de um mês acontece no Rio de Janeiro um processo de ocupação de escolas pelos estudantes. Aparentemente essa luta teria o papel de apoiar a greve dos professores da rede estadual. Aparentemente, porque a luta já é muito mais do que isso.

As ocupações estão denunciando para a sociedade a situação da educação estadual. Demonstram como as escolas estão em péssima situação para alguém estudar. Falta estrutura, ar-condicionado, materiais. Ou seja, salas de aula lotadas com professores sem condições mínimas de dar aula. E o pior é que esta situação tende a piorar com o corte de investimentos na educação do governo Pezão/Dornelles (PMDB).

Além disso, a escolha das direções das escolas acontece de forma autoritária. A Secretaria de Educação indica as pessoas que vão colocar em prática seus interesses, e os próprios estudantes, pais e mães e professores não podem participar da escolha.

Outra reivindicação é o fim do Saerj (Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio de Janeiro), que é uma avaliação que reforça a desigualdade entre as escolas. O Saerj prioriza investimentos apenas nas que são melhores avaliadas, deixando as outras afundarem. Os estudantes também pedem a ampliação do passe livre estudantil, para garantir livre acesso dos estudantes à cidade.

A Secretaria de Educação pretende acabar com as ocupações dos estudantes, fazendo todo tipo de manobra. Por um lado, estimula o movimento contra as ocupações, tentando passar a imagem de que a sociedade não apoia os estudantes. Por outro, pretende mudar o calendário escolar, adiantando as férias para desmobilizar as ocupações.

Porém, a sociedade demonstra todos os dias que está junto com os estudantes. As escolas recebem diariamente doações de todos os tipos para que os estudantes possam se manter ocupados. Vários artistas, educadores e organizações estão contribuindo com atividades que movimentam o cotidiano das escolas.

Quando ocupam escolas, estudantes estão dando uma verdadeira aula à sociedade. Com as ocupações, as escolas estão tendo atividades culturais, aulões, debates, todo tipo de ação para dialogar com os estudantes e com a comunidade. Ocupando as escolas, estão aprendendo coisas que nunca aprenderam em sala de aula: a se organizar, cuidar coletivamente da sua escola, reivindicar seus direitos, cuidar do seu futuro. Quem luta aprende, e educa também!

 

https://brasildefato.com.br/2016/04/26/quem-luta-educa/ 




ONLINE
8