Protesto contra Ensino Politécnico na AL

Protesto contra Ensino Politécnico na AL

Estudantes e professores protestam contra ensino politécnico na Assembleia Legislativa e no Palácio Piratini

Devido ao ato, audiência que discutiria ensino médio foi transferida para data ainda indefinida

Estudantes e professores protestam contra ensino politécnico na Assembleia Legislativa e no Palácio Piratini Bruna Scirea/Agência RBS
Foto: Bruna Scirea / Agência RBS

Dezenas de estudantes e integrantes do Cpers/Sindicato protestaram no saguão da Assembleia Legislativa, na Capital, na manhã desta terça-feira. Por volta das 10h30min, o grupo se dirigiu ao Palácio Piratini, depois seguiu em caminhada. O ato critica o ensino médio politécnico.

Uma audiência discutiria o ensino médio na Assembleia Legislativa, mas acabou sendo cancelada. O cancelamento foi forçado pela cobrança do Cpers de que a audiência fosse realizada em local onde todos os interessados pudessem acompanhar, como não havia espaço disponível para os manifestantes, a reunião foi transferida para data ainda indefinida, quando houver disponibilidade no Teatro Dante Barone.

— A revolta contra o ensino politécnico está explosiva, não só em Porto Alegre, mas em todo o Estado — diz Neiva Lazzarotto, da diretoria do Cpers.

Estudantes vieram inclusive de cidades do interior do Estado, como Lajeado, no Vale do Taquari. Laíse Hofmeister, 16 anos, aluna do 2º ano da Escola Estadual Érico Verissimo, afirma que um grupo saiu cedo da cidade, de ônibus, para participar da manifestação.

— Estou aqui para apoiar os professores e lutar contra o politécnico, porque atrapalha quem trabalha, que é meu caso, e o conteúdo ensinado não ajuda a preparar nem para o vestibular nem para o Enem — opina.

Manifestantes erguem cartazes e gritam palavras de ordem no saguão da Assembleia. Na semana passada, outra manifestação já havia sido realizada contra o ensino politécnico, bloqueando acessos do Centro Administrativo por cerca de duas horas.

Zero Hora


 


 

Manifestação contra o Politécnico realizado pelos estudantes no saguão da Assembléia Legislativa após o cancelamento da Audiência Pública em razão da falta de espaço para que todos estudantes e Trabalhadores em Educação pudessem participar.

Nova Audiência Pública será marcada no primeiro dia que o Auditório Dante Barone esteja disponível. Até lá as manifestações continuarão muito fortes pelo Estado todo.

 




ONLINE
9