Prorrogação da DRU até 2023

Prorrogação da DRU até 2023

Câmara aprova em segundo turno texto base da prorrogação da DRU até 2023

Proposta dá ao governo o direito de usar livremente receitas obtidas com impostos e contribuições que, obrigatoriamente, deveriam ser destinados a determinadas áreas

Por: Estadão Conteúdo    08/06/2016

Câmara aprova em segundo turno texto base da prorrogação da DRU até 2023 Luis Macedo/Câmara dos Deputados

PEC que prorroga a Desvinculação de Receitas da União até 2023 foi aprovada por 340 votos a 96 Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Foi aprovado em segundo turno, na tarde desta quarta-feira, na Câmara dos Deputados, o texto base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU) até 2023. A matéria foi aprovada por 340 votos a 96. Houve ainda uma abstenção.

Para que o texto siga para o Senado, os deputados ainda precisam analisar dois destaques. O primeiro deles tenta retirar do texto o trecho que faz o efeito da DRU retroagir a 1º de janeiro deste ano. Se essa definição for retirada do projeto, a desvinculação passaria a valer somente após a promulgação, reduzindo a margem de manejo livre dos recursos para este ano.

Leia mais
Pressionado por líderes, Maranhão deixa plenário para possibilitar votação
Reunião que votará processo de cassação de Cunha é adiada novamente
PSOL prepara representação na PGR contra Maranhão 

O segundo destaque retira a expressão "contribuições sociais" de um artigo do texto. Na prática, a mudança retiraria as contribuições sociais do rol de receitas que poderiam ser desvinculadas pela União.

A PEC foi aprovada no último dia 2, por 334 votos a favor, 90 contrários e duas abstenções. Na terça-feira, por acordo, os deputados aprovaram a quebra de interstício para acelerar a tramitação da proposta.

A PEC aumenta a porcentagem que pode ser remanejada da receita de todos os impostos e contribuições sociais federais de 20% para 30%. A DRU dá ao governo o direito de usar livremente receitas obtidas com impostos e contribuições que, obrigatoriamente, deveriam ser destinados a determinadas áreas. Essa autorização do Congresso para remanejamento de receitas venceu em 31 de dezembro de 2015.

 

*Estadão Conteúdo




ONLINE
5