Proposta desagrada

Proposta desagrada

Proposta do governo desagrada professores de SC

14 de Setembro de 2015 

Jailson Vieira Laguna

Após diversas rodadas de negociação, o governador Raimundo Colombo (PSD) enviou à executiva do Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Rede Pública (Sinte/SC) a proposta salarial para o magistério. Porém, os resultados apresentados não foi ao encontro da categoria que mais uma vez saiu frustrada da reunião entre os representantes do governo e do Sinte.

Os dirigentes do magistério estadual alegaram que não obtiveram esclarecimentos sobre a tabela salarial e da nova carreira. Ambas terão grandes modificações se aprovadas pela Assembleia Legislativa e com isso, transformadas em lei estadual. 

Conforme o coordenador do Sinte em Laguna, Rudmar Corrêa, os benefícios salariais não ocorrerão tão cedo. “Com essa proposta o governo não nos dará nada. Pois o que faz é retirar a nossa regência e incorporar os valores nos vencimentos de forma parcelada. Isso de investir um bilhão e meio com a educação não tem fundamento. Perdemos o piso de 2015 e também o de 2016. Com a incorporação da regência em nossa tabela, o piso do estado será elevado e retira do governo a obrigatoriedade de oferecer os próximos reajustes”, revela.

Nos próximos dias, as coordenações regionais do Sinte realizarão seminários para debater sobre a proposta. De acordo com Marcelo Becker um dos representantes da categoria dos docentes, com essa proposta que iniciará em 2016 e seguirá por anos é um assalto aos trabalhadores em educação. “Apenas com um ‘canetaço’, o governo destruirá o que por anos e com muitas lutas foi conquistado pelo sangue derramado e por lágrimas de dor, onde fomos surrados por policiais em cima das pontes que ligam a ilha ao continente, na porta da secretaria estadual de educação, na Assembleia Legislativa e nas escolas por diretores medíocres”, lamenta.

 

http://www.notisul.com.br/n/ultimas/proposta_do_governo_desagrada_professores-54311




ONLINE
10