Problemas e soluções

Problemas e soluções

Criar problemas para vender soluções

Postado por Juremir em 22 de agosto de 2015 

Noam Chomsky incomoda muita gente.

Segundo ele, existem estratégias de manipulação aplicadas por toda parte com ajuda da mídia.

Um delas é “CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES. Este método também é chamado ‘problema-reação-solução’. Cria-se um problema, uma ‘situação’ prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos”.

O governo gaúcho estaria usando essa estratégia?

A crise é braba. O governo parcelou o pagamento do funcionalismo.

Consta que, no próximo mês, pagará apenas R$ 500.

A oposição ofereceu o aumento imediato do uso dos chamados depósitos judiciais.

O governo quer, mas não antes de aprovar o seu pacote estrutural, inclusive com aumento de impostos.

Será que tem medo de ficar sem o problema para poder vender a sua solução?

http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=7509 


De quem é a tal agenda 20/20 que diminui o Estado?

Postado por Juremir em 15 de agosto de 2015 

Ao que tudo indica, o Rio Grande do Sul quer implantar uma tal Agenda 20/20.

Em que consiste? Estado mínimo.

É um novo nome para o velho neoliberalismo.

É verdade que dá para enxugar o Estado. Mas a agenda 20/20 não está preocupada com auxílio-moradia para desembargadores nem com supersalários para alguns nababos do serviço público. A ideia é diminuir os “privilégios” da plebe.

Salários acima do teto sempre escapam.

Liguei para muita gente. Perguntei a todos a mesma coisa: quem inventou a agenda 20/20?

A resposta foi sempre a mesma: Gerdau e RBS.

Aqueles mesmos, embora isso seja pouco noticiado em certos veículos de comunicação, que estão sendo investigados na Operação Zelotes por acordos heterodoxos no (não)pagamento de quantias à Receita Federal.

*

Ainda a independência dos poderes.

Na teoria clássica os poderes são independentes e interdependentes.

São independentes nas suas funções precípuas.

O judiciário é independente nas suas atribuições de julgar e aplicar a lei.

Mas quem deve dizer se o judiciário tem direito a auxílio-moradia é o legislativo.

Quem deve dizer quando deve ganhar um magistrado é o legislativo.

Quem deve dizer o que fazer com juros de depósitos judiciais é também o legislativo.

O legislativo é poder eleito e criador das regras do jogo.

O judiciário é independente para aplicar ao legislativo a regra criada pelo legislativo.

Em outras palavra, tudo emana do povo por meio do legislativo.

 

http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=7471


 




ONLINE
5