Pontos e notas

Pontos e notas

 

Anualmente, o colégio I. L. Peretz, de São Paulo (SP), realiza uma série de atividades vinculadas a temas abordados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Para o ano de 2014, no entanto, a equipe pedagógica da escola resolveu inovar e estabeleceu a Copa do Mundo como temática para os alunos dos ensinos infantil, fundamental I e II. “Por ser um ano importante para o Brasil, decidimos dar o valor correspondente ao evento, pois, após 64 anos, o País receberá pela segunda vez a Copa do Mundo”, justifica Carlos Dorlass, diretor do colégio.

O plano abrange todos os alunos da instituição, mas cada etapa de ensino conta com um grupo de atividades próprio para a idade. Na educação infantil, as crianças participam de ações lúdicas, como os projetos Ora Bolas (em que os pequenos alunos desenvolvem atividades com diversos tipos de bolas); Corpo em Movimento (no qual os alunos irão estudar a importância do esporte para a saúde); Bola no Pé (que estudará os movimentos do corpo no futebol); Futebol, de onde veio? (uma breve análise sobre a história do esporte e das copas); e uma viagem literária sobre as 12 cidades-sede do torneio.

No ensino fundamental I, “os alunos estão pesquisando sobre os países da Copa e, de acordo com o projeto de cada ano, o foco varia entre alimentação, população, idioma, zonas rural e urbana, brincadeiras e trajes típicos, ações sustentáveis, hábitos esportivos, capitais, localização mundial e sistema de governo. Em Artes, confeccionam 12 bonecos em tamanho natural, escolhidos para serem ‘cabeças de chave’ e representantes de cada continente. Os bonecos são caracterizados pela bandeira de seu país, também confeccionada pelos próprios alunos”, explica Dorlass.

Na etapa final do ensino fundamental, as atividades ganham uma abordagem mais crítica e tratam de temas mais preocupantes e sérios. “Os alunos do 9º ano iniciaram um projeto sobre o tema social da Copa 2014 – ‘Por um mundo sem armas, sem drogas, sem violência, sem racismo’, que deverá propor uma campanha contra o racismo. A turma teve recentemente um encontro com o jornalista da Rádio Globo, Gustavo Zupak, que falou sobre os problemas do racismo no futebol”, conta o diretor. Em um segundo momento, os alunos do ensino fundamental II irão levar o projeto para as redes sociais, por meio do desenvolvimento de uma campanha publicitária antirracismo, criação de slogans, hashtags (palavras e expressões acompanhadas pela cerquilha #), banners, spots e vídeos, os quais serão divulgados em redes sociais como Tumblr, Instagram, YouTube, Facebook e Twitter.

Por ser um colégio de tradição judaica, o I. L. Peretz também aliou o tema à sua cultura. “Nos Shabatot (plural de Shabat, o sétimo dia da semana, dedicado ao descanso), também estamos trabalhando com o assunto Copa do Mundo, trazendo para nossos alunos um repertório em hebraico sobre nomes dos países participantes, expressões que usamos no dia a dia e que eles já sabem – em hebraico e em outros idiomas –, brincando com diferentes maneiras de falar uma mesma palavra”, esclarece o diretor, que revelou estar surpreso com a participação e a empolgação dos estudantes. “Até por uma questão cultural do brasileiro, o tema futebol é muito atraente, e não somente para os meninos, como poderia se pensar em um primeiro momento. O interesse das meninas pelo tema tem sido impressionante”, diz.

Envolvimento

Apesar de as atividades não terem sido concluídas ainda, Dorlass acredita que os resultados obtidos têm sido muito bons. “Os projetos estão em andamento e muitos deles serão concluídos até o fim do mês de maio ou início de junho, mas o que já podemos notar é que o trabalho pedagógico, uma vez dinamizado por uma temática de interesse geral, flui de forma mais eficiente e prazerosa”. Graças ao bom rendimento dos estudantes, a intenção da escola para o segundo semestre é manter a tradição das atividades unificadas sob um único tema, mas com um assunto novo. “A programação para o segundo semestre prevê um foco no tema da Unesco deste ano, ou seja, ‘Ano Internacional da Agricultura Familiar’, e também no tema das eleições, que certamente dominará os debates em sala de aula”, afirma Dorlass.

Matéria publicada na edição de maio de 2014.

http://www.gestaoeducacional.com.br/index.php/reportagens/case/658-em-busca-dos-tres-pontos-e-da-nota-10




ONLINE
9