Padronizar a avaliação

Padronizar a avaliação

PADRONIZAR A AVALIAÇÃO ESCOLAR PRA QUÊ?

Vamos traduzir o documentário Padronizados para discutir se o sistema de avaliação educacional deve seguir a experiência desastrosa dos EUA?

4yuULQ0.png

 

Será que o sistema de avaliação brasileiro está sendo influenciado pelo dos Estados Unidos? Testes, provas e avaliações, cada vez mais padronizados, crescem todos os anos no Brasil. Mas de onde isso tudo veio? E quais os efeitos para a educação?

É para discutir essa questão que queremos traduzir o documentário Padronizados - Mentiras, Dinheiro e Direitos Civis: Como os testes estão arruinando a Educação Pública (Standardized - Lies, Money and Civil Rigths: How testing is ruining public education). É a partir desse documentário que vamos poder discutir os reais efeito desses testes padronizados.

Mas o que é Padronizados?

Padronizados é um documentário norte-americano de 2014. Nele vemos uma contundente crítica ao atual sistema educacional dos Estados Unidos que optou pelo uso de avaliações padronizadas de seus estudantes. Críticos da educação afirmam que não há benefícios nessa forma de avaliar, nem para as escolas, nem para os professores, nem para os alunos. Tais avaliações, com o passar do tempo, responsabilizaram os professores pelas notas baixas e nivelaram os estudantes por baixo. Muita memorização e pouco raciocínio crítico e criativo.

SEKzqUg.png

“Você faz com que crianças que precisam amar a escola, odiá-la”

 Mark Naison Universidade de Fordham


Por décadas, testes padronizados são parte da educação pública dos Estados Unidos. Nos últimos 10 anos, entretanto, esses testes tomaram um papel mais importante, e possivelmente mais prejudicial. Os resultados dos testes são tratados pelos políticos como uma avaliação da habilidade do estudante e da efetividade do professor e da escola, mas esses testes são tudo, menos isso. Esse documentário coloca luz na natureza inválida dos testes, as consequências terríveis dos testes de alto risco, e a quantidade de dinheiro e interesses capitais envolvido nesses testes.

Seria uma coincidência com o que tem acontecido no Brasil? As avaliações propostas pelo MEC aos Ensinos Fundamental e Médio - como a Provinha Brasil e o ENEM -  têm mostrado resultados semelhantes. O que essas avaliações têm ajudado para a melhoria da educação formal brasileira? O que nossos estudantes de Ensino Fundamental e Médio têm aprendido?

Nós, da Palavra Criativa, queremos trazer esse debate para um número maior de brasileiros. Vamos traduzir e legendar o filme para o português e promover exibições e oficinas sobre o tema em escolas, instituições de ensino e pesquisa e outros espaços que se interessem pelo debate. Mas para isso precisamos da sua contribuição!

Esse debate é essencial em 2016! Estamos discutindo a Base Comum Curricular Nacional e precisamos perguntar: a quem interessa padronizar os conteúdos e as formas de avaliação?

Para isso, precisamos de sua ajuda.

Vamos botar a discussão na sociedade!

Com a nossa meta de R$ 13.000,00 iremos

Ø  Traduzir e legendar o filme

Ø  Pagamento dos direitos de exibição pública +

Ø  Produzir material gráfico de apoio à exibição do filme e realização das oficinas

Ø  Contatar as instituições interessadas na exibição e oficina

Ø  Realizar pelo menos 10 exibições e oficinas nos locais determinados


Agora é com os gestores e políticos!

Com nossa meta de R$ 16.000,00 nós vamos fazer tudo isso acima e mais:

Ø  Realizar pelo menos mais 10 exibições e oficinas nos locais determinados

Ø Mobilizar gestores e políticos aliados da educação 

Quem vai se beneficiar com esta ação?

Acreditamos que esse debate é muito importante porque o que temos visto acontecer com nossos estudantes é uma tentativa de padronização de aprendizagem e comportamentos sem precedentes na nossa história. Resultados aquém dos esperados têm sido interpretados sobretudo como falhas dos próprios estudantes que têm sido diagnosticados com diversos transtornos, sendo os mais comuns a dislexia e o TDAH. Crianças e adolescentes rotulados, medicados e medicalizados em seus processos de aprendizagem, sem direito aos seus modos singulares de aprender com o único objetivo de padronizar a aprendizagem.

De outro lado, temos um aumento de pressão sobre os professores. O foco nas avaliações padronizadas tem tirado do professor a autonomia de sua avaliação pessoal sobre seus estudantes e também a autonomia sobre a condução de seu trabalho. Frequentes são os relatos daqueles que apontam a gradual transformação do espaço educacional como produtor de conhecimento em mero treinamento do aluno para tais avaliações.  Isso porque o resultado negativo de uma classe não serve como uma leitura do que é preciso fazer para melhorar o processo ensino/aprendizagem, mas para identificar os professores mal sucedidos em sua tarefa de ensinar.

Fazer circular esse debate é chamar a atenção de mais pessoas não só para o tema, mas para quem tem sofrido com as consequências desse movimento: estudantes e professores. Existem formas mais potencializadoras de se avaliar o aprendizado das crianças e isso precisa ser conhecido, divulgado e praticado.

QUEM SOMOS

A ideia de traduzir para o público brasileiro o documentário Padronizado surgiu após muita discussão e perguntas, afinal, essas provas provam o quê?

A Palavra Criativa – cujos trabalhos visam contribuir para a mudança de valores sociais, como a tolerância às diferenças e contribuir para a qualificação da população, agregando valores para o cidadão em qualquer atividade profissional – entendeu que investir na tradução e divulgação desse documentário é uma forma de ampliar o debate sobre nosso sistema educacional. .

d3Yqclr.png

NOSSA EQUIPE

Vera

Fonoaudióloga e docente do curso de Fonoaudiologia da PUC-SP. Também atua em movimento social e acha que é preciso escancarar o que vem acontecendo na educação brasileira.

Jason
Fonoaudiólogo (PUC-SP), Mestre e Ativista em educação e saúde na infância e na adolescência.

Lucia

Fonoaudióloga, trabalha como terapeuta e docente do curso de Fonoaudiologia da PUC-SP, doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. Comprou a ideia do Rui de fazer uma versão brasileira do filme.

Rui

Antropólogo, ativista da educação e da saúde, especialista em ciência e burocracia. Viu o filme e disse: ah, poderia fazer uma versão brasileira bem mais triste.

Associação Palavra Criativa

Tem como missão potencializar o sujeito falante em sua comunidade, contribuir para a mudança de valores sociais, como a tolerância às diferenças e também para a qualificação da população, agregando valores para o cidadão em qualquer atividade profissional. Propõe um outro olhar na contraposição à crescente visão medicalizante da sociedade e da educação.

 

https://www.benfeitoria.com/testespadronizados 




ONLINE
9