O que é para você ser professor?

O que é para você ser professor?

 

O que é para você ser professor?


Ser professor é muito mais que ser alguém que transmite seus conhecimentos, muito mais que um instrutor em uma sala de aula e ainda muito mais que alguém que senta em sua cadeira e dita o conteúdo a seus alunos, sendo que estes são alguns dos exemplos de depreciação pelos quais passam os professores hoje em dia.

Mas será que terá que ser sempre desta forma? Existem maneiras diferentes para que isso não ocorra e os docentes devem possuir algo que não são todos que adquirem que é a vocação. Onde não há vocação, posteriormente não haverá solução. Mas a que estamos nos referindo com isto? Como todos bem sabemos, a vocação é praticamente a inclinação que um indivíduo tem em exercer uma determinada carreira, profissão ou qualquer tipo de atividade na vida e, neste caso, o ser professor. Se não levarmos isso em conta, dificilmente poderemos chegar a ser um bom profissional da educação e não poderíamos alcançar a resposta a esta interrogação que nos temos levantado.

O ser professor é estar acompanhado de uma grande responsabilidade que deve ser de vocação, não porque é a última opção restante, mas sim porque depende de nós a formação das crianças. Em primeira instância, os educadores são nossos pais, que nos ensinam as coisas mais básicas para nossas vidas, nos mostram o mundo, nos querem próximos e nos ensinam todas as coisas que precisamos até o último dia de nossas vidas.

Nossa segunda abordagem se refere à escola, ao momento em que temos contato com outras pessoas que, ainda que não sejam nossos pais ou familiares, contribuem durante onze ou mais anos em nossa formação, com quem passamos a maior parte de nosso dia e com quem aprendemos a amar ou a odiar, muitas vezes sem razão: os professores. Mais do que isso, ser professor é também transmitir todas as experiências que se possui, além de poder fazer de seus alunos pessoas que posteriormente possam se proteger em todos os âmbitos de sua vida, e ser um exemplo para todas as crianças que os enxergam como verdadeiros modelos a serem seguidos e em um local em que vão adquirindo consciência para superar os desafios e as metas que lhe vão sendo propostas.

O ser professor é, também, de forma simultânea, algo muito complexo e admirável e ainda mais importante do que o ensinar línguas, matemática, física, etc; é oferecer nossos próprios olhos para que os alunos possam olhar a realidade existente sem medo. Ser professor, como citávamos no início, não é somente dar horas e horas de aula, mas sim, dedicar nossa paixão e alma aos alunos. Sentimos que a formação dos professores tem que ser cuidadosa, permanente e exigente já que estão em contato diário com outros educadores e com quem constroem um aprendizado, a quem muitas vezes aconselham como amigos, a quem atendem, cuidam e, também, protegem; de quem cuidam não só dentro da sala de aula, mas também sabendo que sua pedagogia pode em determinadas ocasiões transcender à vida cotidiana e em todos os contextos.

Apesar disto, a figura do professor se vê turva e desmerecida pela sociedade, sendo uma profissão considerada por muitos como sem importância, que pode ser desempenhada por qualquer um, ou como um trabalho que alguém escolheu porque não teve outra opção e se viu obrigado a “lidar com crianças”.

A missão mais importante dos pais e do professor com seus filhos e seus estudantes, respectivamente, é a grande responsabilidade de educá-los. Mas como? Ninguém sabe, mas com o tempo nos permitimos ser referência a outros que aprendem com nossos atos, conquistas, fracassos, falhas e tropeços que muitas vezes não queremos e que inconscientemente pelo modo de agir e atuar acabam como modelo reproduzido de uma para outra pessoa e repetidos por outros mais. Aqui reside a importância de uma boa comunicação e de nosso exemplo, já que estas são as bases de uma coerência existencial e de uma vida melhor.

Finalmente, ficamos com uma citação encontrada na internet de uma professora e futura colega, chamada Sofía Macarena: “Ser professor é oferecer uma varinha mágica aos meninos (as) para que possam voar com suas fantasias, traçar os caminhos da imaginação, visitar estrelas e países encantados, falar com borboletas e tulipas, descobrir horizontes insuspeitos e descansar com o peito na lua”.

Logo depois de ter respondido a pergunta levantada, fica ainda mais demonstrado que para se conseguir chegar a ser um bom professor de educação, o que se deve possuir é mais do que vocação. Ser professor implica em amor, paixão, carinho, responsabilidade e mais um milhão de coisas que deveríamos compartilhar com nossos colegas e, ainda de forma mais especial, com nossos alunos.

O artigo  é de autoria de estudantes de pedagogia e não expressa necessariamente a opinião da Rede Vozes da Educação.

Se você também está estudando para ser um futuro educador e quer participar deste espaço, envie um texto para observatório@acaoeducativa.org

Alfonso Olivera e Héctor Cárcamo

Alunos do 1º ano de Pedagogia em Educação Física, Esportes e Recreação

Universidade de la Fronteira, Chile

Novembro / 2012

 

*Foto: Sesi




ONLINE
15