O definido continua indefinido

O definido continua indefinido

O definido continua indefinido
Edith Jaques

 

A história do Piso Nacional do Magistério, além de longa, teve de tudo: teatro...circo... pelegagem... traições (CNTE) e, por último, o Ministro da Educação declarando a indexação do Piso pelo índice do FUNDEB, só que, o índice esse ano (7,97%), quase se iguala ao índice do INPC (6,2%). Deu para perceber a grande estratégia? Não se justifica que burlaram a Lei, como o nosso Tarso Genro, porém, mascararam. Impossível acreditar que o índice em 2012 alcançava 22%; em seguida, 2013, o índice passou para 7,79%. No momento em que contestávamos o aumento pelo índice do INPC (manipulado), que feria a Lei, o índice do FUNDEB, também decresceu.

Pensem os Educadores: É assim que se quer Educação de qualidade? Que os Governos e os Secretários de Educação, guardem os discurso para outra ocasião! Com menos investimentos em Educação, só pode acontecer retrocesso, decrescimo na qualidade da Educação, que não se faz com milagres, Professores mal remunerados, alunos sem perspectivas de futuro melhor. Percebe-se que deve ter dado muito trabalho o como fazer para não burlar a Lei, dando a impressão de que a questão do Piso, seria resolvida de forma satisfatória. 
   
Na sua  entrevista, o Ministro da Educação, Aloízio Mercadante, dá o grande consolo: o ano que vem, será muito maior, o índice do FUNDEB. Conclui-se então, que devemos viver de expectativas, de  esperanças, de promessas  que jamais serão cumpridas!.. Temos o grande exemplo, aqui, no Rio Grande do Sul, onde a Lei do Piso não passou de promessas de campanha eleitoral... o Piso Nacional do Magistério, nunca foi cumprido e, já se preparam para colocar outro nome na Lei, se chamará > Completivo! 
  
E, o pior, pasmem!... Na entrevista, o Ministro da Educação afirma que: a própria CNTE, reconheceu a dificuldade de um reajuste maior para os Professores. Vejam por quem estamos cercados! Traidores!...   Júlio Cesar (Roma - 44 a. C.) diria: "Até tu Brutus!" Passo já a história, afim de não ser mal interpretada, me ajudem, os Professores de história!...  Em meios às conspirações, Júlio César foi assassinado pelo filho adotivo, que se chamava Brutus (Bruto), eis a última frase: Até tu, Brutus"!...  

   
Quantos Brutus passaram pela nossa vida profissional! A todos, com certeza, você desejou sucesso, futuro brilhante e tudo além.. Você que trabalhou por vocação e, hoje, você é pago apenas pela  obrigação-dever, quando eles entendem esse sentido de vocação, como trabalho de graça e não valorização profissional, como tantas outras profissões. Como profissional, você estudou, investiu, em busca de retribuição para melhorar a sua posição - ganhar um pouco mais, enfim viver dignamente. E, quando se pensa no Rio Grande do Sul, onde o Piso Nacional vai ser chamado de Completivo ou Parcela Completiva, está claro o descumprimento da Lei (analisem os Professores de Português: Será o completivo ou complemento nominal?).

   
Aí está o retrato vivo do país em que vivemos! Não podemos viver de expectativas e promessas! Temos que viver de realidade. Quando o Ministro acena para um índice mais alto do FUNDEB, lá em 2014, não podemos nos enganar. Depende da importância que derem ao Setor da Educação!...

   
E, não esqueçam a história de Júlio César > somos Professores de todos os brasileiros, inclusive, dos Deputados, Ministros, Presidentes, entre outros. Professor é Professor!  Está em toda parte!

   
E, não investir em Educação, significa ter que investir em polícia, repressão, controle, o que eles, Governos, chamam de Segurança. Ao passo que, o investir em Educação, saúde, trabalho, é uma forma mais eficaz!  

   
O Governo do PT, é um Governo de expectativas e promessas que acabam em nada! ... 


Infelizmente, o Governo prefere construir prisões (presídios), ao invés de investir em Educação!...

Boa Sorte... Professores... ao lado destes... se puderem!...

Obrigada!

Cachoeira do Sul, 13 de janeiro de 2013.    

Edith Jaques (Professora)




ONLINE
9