Escola Estadual será fechada

Escola Estadual será fechada

Escola Estadual em Carazinho será fechada

Autor: Alessandro Tavares

Escola Estadual em Carazinho será fechada
Foto: Alessandro Tavares / DM

 

Estado justifica fechamento de educandário no Bairro Princesa a partir da necessidade de economia. Eduardo Graeff atende 41 alunos e tem 25 servidores entre professores e funcionários. Atendimento será mantido apenas até o fim do ano letivo

Nesta semana pais de alunos matriculados na Escola Estadual de Ensino Fundamental Eduardo Graeff contataram a redação do DM para comunicar que a Escola que fica localizada no Bairro Princesa estaria por ser fechada ao final deste ano letivo. Uma das mães que conversou com a reportagem do DM é Daiane Antunes, que tem dois filhos matriculados na escola que atende em   tempo integral. “Ficamos sabendo que a escola será fechada e não queremos isso. A escola é muito boa e auxilia muito a quem trabalha, pois as crianças ficam lá praticamente o dia inteiro, meus filhos ficam até as 16 horas e fica perto de casa.  Vamos fazer um abaixo assinado na tentativa de impedir que escola seja fechada”, desabafa a mãe.

Daniela comenta que nem todos os pais teriam sido comunicados da decisão, que por enquanto seria extraoficial, mas que alguns já sabem da intenção da Secretaria Estadual de fechar o  estabelecimento de ensino pois teriam sido  informados por  professores e servidores. “Disseram que não podem matricular as crianças pois a escola será fechada e o pessoal encaminhado para o Cruzeiro do Sul. Pelo que disseram querem fazer uma creche no local. Já temos no bairro a EMEI Princesinha e tem o posto de Saúde que está desativado, porque não fazem uma creche ali? ”, indaga Daniela. Até o final da tarde de ontem (3), o abaixo assinado organizado pela comunidade escolar já tinha cerca de 70 assinaturas.

Para a diretora, o fechamento da escola prejudica o processo de aprendizagem
Com 24 anos de carreira no magistério, a diretora da Escola Estadual Eduardo Graeff, Vanisa Fátima dos Santos, comenta que durante o período que é professora não lembra de outro fato semelhante em Carazinho e lamenta a notícia. “Pedagogicamente é uma perda pois quanto menores as turmas, mais atenção os educadores podem dar ao aluno. Outra coisa que se teme com o fechamento da escola é perder o vínculo que se tem com a comunidade escolar, aqui todos se conhecem e se ajudam. O fechamento pode ser bom para o Estado, mas não para os alunos”, comenta a diretora. Segundo Vanisa, hoje estão matriculados na escola 41 alunos sendo que a maior turma tem 11 alunos, que é a turma do 5° ano do Ensino Fundamental. Na escola Eduardo Graeff estão matriculados no primeiro ano 8 alunos, 7 no 2° ano, 5 no 3° e 10 alunos no 4° ano. Todos são atendidos no turno integral e chegam a escola as 7h45min e ficam até as 16 horas onde recebem três refeições diárias.

De acordo com a diretora, a escola tem 4 professores que atendem aos alunos no turno da manhã e 5 no período da tarde, e mesmo com o quantitativo pequeno de alunos a diretora justifica que não sobram professores, uma vez que a grade de disciplinas oferecidas e elencadas pelo Estado  é extensa, e assim um professor(a) aborda  mais de uma temática. A diretora comenta que um dos questionamentos que comunidade escolar tem lhe feito refere-se a investimentos que estão por serem aplicados na escola. Vanisa pondera que estão por ser investidos mais de R$ 100 mil no muramento e cobertura do pátio. Outro questiomento é de, porque não inverter as posições deslocando os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental João XXIII, que fica próximo dali para a escola Eduardo Graeff e criar no prédio daquela uma EMEI , já que tal modalidade  de  ensino é  atribuição do município.  Outra preocupação manifestada pela equipe diretiva é em relação a infraestrutura e materiais que a escola tem, dentre estes   uma brinquedoteca recém montada.

CPERS pode manifestar-se em frente à escola
O CPERS Sindicato deve ter na manhã de hoje (4), uma reunião de diretoria na sede da entidade a partir das 8h30 min e dentre outros assuntos discutir a possibilidade do fechamento da escola.  Representantes da entidade não descartam a possibilidade de realizarem um ato em frente à escola na tarde de hoje, quando uma reunião com a participação de representantes da CRE está marcada para oficializar a notícia à comunidade escolar.

Princípio da economicidade e criação de uma creche justificam o fechamento
A coordenadora da 39° Coordenadoria Regional de Educação, Sandra Bandeira Guerra, confirma que a escola Eduardo Graeff  será  mesmo fechada ao final deste ano letivo. A decisão de Estado segue os princípios da  economicidade, uma vez que  a   escola  que tem  41 alunos  matriculados, mas nem todos assíduos, segundo a  coordenadora tem 25   servidores em  seu quadro  somados  professores e demais  colaboradores, representando uma  média de 1,6  aluno para cada  funcionário. Sandra destcaa que a maior turma de alunos da escola tem 11 crianças  matrículadas quando a   maioria das escolas  de  Ensino  Fundamental  tem entre  25 e 35 alunos matriculados em cada turma. A  Coordenadora  pondera  que a decisão pelo  fechamento só se deu  pois o bairro   é rodeado de outras opções , ficando próximo  dali outras  tres  escolas de  Ensino Fundamental, sendo duas  da rede  estadual (Érico Verrisimo e   Cruzeiro  do Sul )  e uma  Municipal a EMEF. João XXIII. “Fizemos o comunicado na escola  de que infelizmente o Estado não tem mais  condições de manter  a Escola Eduardo Graeff, com 25 profissionais da educação para  atender apenas 41 alunos que estão matriculados”, comenta  Sandra. A coordenadora garante que todos os alunos  da Escola Eduardo Graeff terão  matriculas  garantidas  na  escola Estadual   Cruzeiro do Sul que   fica a algumas  quadras  do local. A opção pela    matricula na escola no entanto será de livre escolha das famílias. A coordenadora destaca que a decisão de fechamento do   estabelecimento de  ensino  é  uma  decisão de Estado que  tem monitorado eletronicamente os  recursos humanos. A  professora  explica que a cada  falta de professor e servidores no quadro o Departamento de Recursos  Humanos da  SEDUC mapeia  onde estão as escolas  com menor  sobre carga, e neste aspecto a  Escola  Eduardo Graeff   tem  sido apontada constantemente.

O coordenador adjunto, Cleber  Drehmer ressalta que a decisão deixa   triste  toda  a coordenação.  “Temos a obrigação como professores de  de pensar nos alunos , é uma  decisão triste e não estamos  nada  contentes, mas  de momento  concluimos que  é a melhor  ação pois o Estado precisa  tomar   iniciativas para  sanar  as dificuldades que passa” declara Drehmer.

Ele confirma que a escola  deve mesmo receber um investimento na ordem de  R$  100 mil a ser  aplicado no  muramento do pátio da escola e  ressalta que este  é  um recurso que vem sendo   discutido  a bastante   tempo e vinculado  ao Banco Internacional para Reconstrução e  Desenvolvimento (BIRD).A Coordenadora pedagógica da 39°CRE, Lucia Bandeira confirma que a  quantidade de  alunos matriculados  na Escola  Eduardo Graeff vem decrescendo  desde o ano de 2006 quando a escola  tinha  228 alunos. A professora  explica  que  a queda de matriculas se acentuou  ainda mais  a partir de 2009 quando a  escola passou a ofertar apenas o Ensino de 1 ao 5° ano  do Fundamental.

A assessora  pedagógica de Tempo Integral, Denise Becker,  confirma que todos os  alunos ora matriculados na Eduardo Graeff  continuarão  sendo atendidos em tempo integral na Escola  Cruzeiro  do Sul.  Denise também antecipa que com a transferência , a  Escola  Cruzeiro do Sul que hoje não tem ensino de tempo  integral passará  a ter, e somadas as 41  crianças da Eduardo  Graeff cerca de 100  serão  atendidos em tal modalidade  na   Escola Cruzeiro do Sul a partir de 2017. A coordenadora de Educação confirma que  a maior  parte do professores da Eduardo  Graeff serão remanejados para a Escola Cruzeiro do Sul e eventualmente  o   efetivo excedente  deslocado para  outros   estabelecimentos de acordo  com demanda da rede.  Sandra também confirma que existem trativas  com a equipe de Governo do  prefeito eleito  Milton Schmitz para que no ano que vem se dem  início  as  tramitações para que o município ocupe  o  prédio  com a  instalação de uma EMEI . A principio o Estado faria a  cedência do local para a SMS, onde  estima-se que    poderia ser criada cerca de 120 vagas na  Educação  Infantil.

Toda a estrutura de  materiais e objetos que  Escola Eduardo Graeff tem também deve ser  transferida para a  Escola Cruzeiro do Sul. Atualmente a  Secretaria  Municipal de  Educação e Cultura  tem uma lista de   espera  de  aproximadamente 70  crianças  que  aguardam  vagas   em creche nas  imediações do  Bairro  Princesa.

 

http://diariodamanha.com/noticias/ver/23963/Escola+Estadual+em+Carazinho+ser%C3%A1+fechada 




ONLINE
6