Enem está consolidado

Enem está consolidado

"Antes do Enem, muitos estudantes nem podiam sonhar em participar de um vestibular", afirma jornal

Fonte: O Povo (CE)    10 de novembro de 2014

 

Neste domingo mais de oito milhões de estudantes concluem as provas do Enem - o Exame Nacional do Ensino médio. O Enem foi criado em 1998, no governo de Fernando Henrique Cardoso, para avaliar o desempenho do estudante ao fim da Educação básica. O objetivo inicial era criar um lastro para melhorar a qualidade de Ensino desse nível de Escolaridade.

A partir de 2009, já no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o exame passou a ser utilizado também para ingresso no Ensino superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), no qual instituições públicas de Ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes da prova. Atualmente o Enem é utilizado ainda para o acesso a outros programas oferecidos pelo governo federal, como o Prouni (bolsas de estudos para universidades), Fies (financiamento de estudo universitário) e Ciências sem Fronteiras (bolsas para intercâmbio no exterior).

As dificuldades iniciais para a implementação do projeto vêm sendo superadas ano a ano, consolidando essa forma positiva de acesso ao Ensino superior. As críticas iniciais - a maioria em relação à logística - foram arrefecendo, na medida da resolução desses problemas. A mudança critério “conteudístico” do vestibular para uma abordagem programática e analítica pelo Enem, tem-se mostrado correta, pois privilegia o raciocínio e formas mais amplas de conhecimento.

Outro ponto positivo a se considerar é que, antes do Enem, muitos estudantes nem podiam sonhar em participar de um vestibular, devido a dificuldades financeiras ou à distância entre local das provas e moradia, o que também implicavam gastos, com os quais nem todos podiam arcar. Hoje, com o exame nacional e o Sisu, o estudante tem à sua disposição uma lista de universidades que cobrem todas as regiões do país.

Porém, uma questão fundamental ainda está por ser resolvida: é preciso que o governo ofereça pelo menos duas edições por ano do Enem, o que ajudaria a reduzir a natural ansiedade dos Alunos ante à prova. No mais, é desejar sorte aos estudantes que hoje buscam uma vaga no Ensino superior.
Leia editorial no site original




ONLINE
15