Educar não é tarefa fácil

Educar não é tarefa fácil

Aguinaldo dos Santos

A família é a referência fundamental para a criança. Os pais têm um papel fundamental na educação de seus filhos. A tarefa de orientar e cuidar da educação dos filhos não pode ficar exclusivamente a cargo de professores a partir da fase pré-escolar

A família é a referência fundamental para a criança. Os pais têm um papel fundamental na educação de seus filhos. A tarefa de orientar e cuidar da educação dos filhos não pode ficar exclusivamente a cargo de professores a partir da fase pré-escolar. A idéia de princípios, valores, respeito e ética deve vir de casa e começa a ser formada ainda na fase criança. O papel da família também inclui a atenção especial com a educação formal das crianças, a educação escolar. O interesse pelo desempenho do filho na escola bem como a forma como ele se relaciona com as pessoas de seu convívio, e fora dele, também é uma tarefa importante a ser desempenhada pelos pais; isso ajuda a ter uma percepção mais ampla sobre a formação da criança como pessoa. O convívio familiar é o local onde o sujeito aprende os primeiros princípios da educação. Em seguida, vem à escola, para "aperfeiçoar" a educação transmitida pela família, fazendo o indivíduo entender que todo ser vive em uma sociedade e que toda sociedade tem regras, nas quais, principalmente os seres humanos, por serem dotados de razão, devem ser educados para, pelo menos, tentar cumprir tais regras.

Kant reconhece o homem como o único ser que pode e precisa ser educado e que sem educação o ser humano permanece um selvagem. Mas, preciso haver interesse, não só da escola, mas também da família, na formação de cidadãos conscientes e atuantes em seu meio social, conscientes de seus direitos e deveres para com a sociedade.

Focando a questão da disciplina escolar, devemos refletir sobre o que se entende por indisciplina, qual a causa,como são enfrentadas situações de indisciplina, bem como qual tem sido a participação dos pais na vida escolar dos filhos. Sabe-se que, o conceito de indisciplina não é imutável. Seu conceito está intimamente ligado a valores e expectativas que se alteram no decorrer da história, entre as diferentes culturas em uma mesma comunidade. É pressuposto da vida social o criar e o cumprir regras, normas capazes de regular, orientar relações, possibilitando o diálogo, a colaboração e mudança entre os membros da sociedade. Muitos atribuem a culpa pelo tal comportamento indisciplinado da criança e do adolescente, à educação que os mesmos recebem em casa. Fato inconteste, considera-se que a indisciplina é considerada um dos fatores que influenciam o fracasso escolar. Não obstante a este fato, hoje em dia é muito comum ouvirmos relatos de professores desgastados pela falta de disciplina de seus alunos, atitudes geradoras de violência dentro e fora de sala de aula. Professores que desanimam e porque não dizer, amedrontam-se frente as agressões e situações de indisciplina em sala de aula. É um fator que causa danos ao professor e ao processo ensino-aprendizagem, prejudicando também o aluno que pouco aproveita do que é lhe ensinado em sala de aula. Além de representar um transtorno não só para professores e coordenadores pedagógicos, supervisores, diretores, é também, para os pais que, além de terem que lidar no dia a dia com o problema de comportamento de seus filhos em casa e na rua, ainda recebem constantes reclamações sobre as atitudes dos mesmos na escola.

É no convívio familiar, onde o sujeito aprende os primeiros princípios da educação. Em seguida, vem à escola, para "aperfeiçoar" a educação transmitida pela família, fazendo o indivíduo entender que todo ser vive em uma sociedade e que toda sociedade tem regras, nas quais, principalmente os seres humanos, por serem dotados de razão, devem ser educados para, pelo menos, tentar cumprir tais regras. Kant reconhece "o homem como o único ser que pode e precisa ser educado e que sem educação o ser humano permanece um selvagem". É preciso haver interesse, não só da escola, mas também da família, na formação de cidadãos conscientes e atuantes em seu meio social, conscientes de seus direitos e deveres para com a sociedade. É impossível negar, portanto, a importância e o impacto que a educação familiar tem (do ponto de vista cognitivo, afetivo e moral) sobre o individuo.  Não nos esqueçamos, os filhos sempre contam com os pais. Ou pelo menos seria bom que os filhos pudessem contar com os pais, inclusive para dar-lhes limites, orientá-los acerca de seu comportamento. Atualmente, há mais duas décadas o Estatuto da Criança e do Adolescente, deixa bem claro o direito de participação dos pais no desenvolvimento escolar de seus filhos, tornando a Família e Escola  os principais responsáveis pela educação. Mas, parece que cada dia que se passa, menos limites as crianças e adolescentes recebem  em casa. É importante considerarmos que a disciplina deve ser entendida como uma forma de conscientizar a criança dos seus direitos e deveres. Ser educado para ser disciplinado, ou seja, ser instruído a cumprir regras que estabelecem o bom funcionamento e a  garantia da ordem social, pois a disciplina "deve ser também um objetivo educacional" . É bom que façamos reflexões sobre o papel  da família e da escola no trato com crianças e adolescentes: Que ensinamentos a criança e o adolescente tem recebido em casa, no seio da família? Qual o relacionamento escola-família-comunidade ? Qual tem sido o papel da  educação escolar durante os avanços científicos, tecnológicos e sóciais ?

 

Autor

Aguinaldo dos Santos é supervisor de ensino e Advogado

http://jornal.jurid.com.br/materias/doutrina-geral/educar-nao-tarefa-facil/idp/38927?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=newsletter




ONLINE
6