Doença silenciosa do professor

Doença silenciosa do professor

A SILENCIOSA DOENÇA DO PROFESSOR: BURNOUT, OU MAL ESTAR DOCENTE*

ESTRESSE

Qualquer pessoa sensata há de concordar: ser professor/a é desempenhar uma profissão linda, necessária e fundamental para a construção e o desenvolvimento da sociedade humana. Porém, é uma das profissões mais estressantes de nossos tempos. É uma fonte constante de doenças emocionais e psicossomáticas. Tanto é que, ultimamente, de acordo com algumas publicações médico-científicas, os casos de professores com doenças psíquicas tem tido um aumento considerável. Devido às muitas pressões e outros tantos fatores (desprestígio da profissão, violência escolar, falência no sistema de ensino, pedagogias culpabilizantes, desvalorização salarial, etc.) que circundam essa prática profissional, muitos docentes tem engrossado as filas dos consultórios psiquiátricos. É alarmante, eu diria mais: é assustador!

No sentido de refletir um pouco sobre esse assunto, o artigo, aqui disponível em PDF, versa sobre o estresse do professor. O objetivo é trazer contribuições de pesquisas já realizadas sobre o estresse do docente no desenvolvimento de seu trabalho e oferecer subsídios para a continuidade de estudos e pesquisas sobre este assunto. Os estudos já realizados chamam a atenção para o perigo da falência de todo um sistema de ensino, caso não seja dada a devida atenção à saúde do professor em relação às situações estressantes e a pressão sofrida no cotidiano. Recentes pesquisas (CODO, 2006; ESTEVE, 1999) sobre a saúde do trabalhador-professor apontam que os problemas emocionais como estresse e burnout são consequências do desgaste diário ao qual o professor se submete no relacionamento com seus alunos. Como os outros profissionais que vivem as conseqüências de um mundo moderno e barulhento, os professores sentem a busca por mais qualidade de vida longe de seus objetivos. Além disso, fatores como o desprestígio da profissão professor somado ao caos social, em relação a valores, entre outras questões, acabam desencadeando na sala de aula e na escola de forma geral, a pressão, o desgaste e, consequentemente a silenciosa doença capaz de gerar depressão e outros problemas. Pensar o profissional e a pessoa é também valorizar a profissão docente.

Faça o download do PDF aqui:

A silenciosa doença do professor_burnout ou mal estar docente

  • Artigo escrito pela professora de Pedagogia: Maurina Passos Goulart*, docente da Unaerp – Universidade de Ribeirão Preto, Campus Guarujá.

  • Adaptado para o blog ‘Coração Filosofante’, por Baruch Amanuensis.

Disponível em:

http://www.unaerp.br/revista-cientifica-integrada/edicoes-anteriores/edicao-n-2-2014-1/1464-161-454-1-sm/file

 

https://coracaofilosofante.wordpress.com/2015/10/04/a-silenciosa-doenca-do-professor-burnout-ou-o-mal-estar-docente/




ONLINE
7