Cunha concede ao STF

Cunha concede ao STF

Pressa suprema: Cunha concede ao STF aumento que Dilma vetou. Entendeu?

Da Redação

Você deve ter se perguntado, e lido aqui em Conexão Jornalismo, que havia algo estranho do ar: a morosidade do STF em julgar o caso de Eduardo Cunha - um homem acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e etc. Pois bem. Eis que agora as coisas começam a clarear. O embaçamento, portanto, se desfaz. Relacionar "lé com cré" pode ser prejudicial a saúde, sabemos. Por isso vamos deixar esta parte com você, ok? Repara só: a Câmara prepara a aprovação em regime de urgência o aumento do STF que Dilma Rousseff conseguiu vetar com dificuldades. Os ministros, que ganhavam um miserê, ao que parece, terão agora uma vida um pouco mais confortável.

Às vésperas da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado Federal e a possível troca de governo, o presidente do Supremo

Tribunal

Federal (STF), Ricardo Lewandowski, recebeu o apoio líderes de partidos na Câmara, que, em acordo, vão tentar aprovar o reajuste salarial de servidores do Judiciário e de magistrados rapidamente.

A ideia é aprovar a urgência do projeto de lei

nesta quarta-feira e, no mesmo dia, analisar o mérito do texto no plenário da Casa.

No seu blog, Antonio Mello destacou:

O problema é que pega mal essa pressa toda do STF, quando ele anda a passo de cágado atrás de Eduardo Cunha, acusado pelo PGR Janot há meses e que continua não só livre, leve e solto, como chantageando e manobrando a Comissão de Ética da Câmara que o processa por quebra de decoro, comandando o processo de impeachment da presidenta Dilma, trancando a pauta da Câmara, "enquanto o processo de impeachment não for aceito no Senado".

O país está paralisado, graças a Cunha e, por omissão, ao STF, que ainda não mandou prendê-lo.

O mesmo STF, que tem pressa em conseguir o reajuste salarial, mas até hoje mantém suspensa a nomeação do ex-presidente Lula como ministro do governo da presidenta Dilma.

Pega mal. Muito mal, ministros. Tanto que...

Nos corredores da Câmara o convite feito aos deputados hoje por Lewandowski para o café é apelidado de "cobrança da fatura" após o STF não interferir nas votações do impeachment pela Casa. Alguns ministros saíram em defesa do processo para reforçar o discurso da maioria dos deputados de que não há o golpe acusado pelos petistas e movimentos ligados ao PT. [Fonte: Valor]

 

http://www.conexaojornalismo.com.br/colunas/politica/brasil/pressa-suprema-cunha-concede-aumento-ao-stf-que-dilma-vetou.-entendeu-agora-73-43625 

 




ONLINE
4