Costura política

Costura política

Governo quer garantir votação de 10 projetos terça-feira na Assembleia

Em reunião nesta segunda-feira, governador José Ivo Sartori vai pedir apoio a deputados da base. Entre os projetos, está o que cria o regime de previdência complementar dos servidores públicos estaduais

Governo quer garantir votação de 10 projetos terça-feira na Assembleia Lauro Alves/Agencia RBS

Em função de adiamento de projetos, sessão da semana passada (dia 8 de setembro) não tratou de temas polêmicosFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

A costura política do governo do Estado para definir os projetos de lei que irão a votação na próxima terça-feira, na Assembleia, será concluída no fim da tarde desta segunda no Palácio Piratini. Em encontro marcado para as 17h, o governador José Ivo Sartori pedirá aos deputados da base para que aceitem votar pelo menos 10 propostas do Poder Executivo.

Votação de projetos polêmicos é adiada

Todas elas (leia os detalhes no quadro ao lado) passarão a trancar a pauta de qualquer forma porque já estão com o prazo expirado. Mas, dependendo do resultado da conversa, os casos em que não houver consenso poderão ficar para a próxima semana. A decisão final ainda dependerá da reunião de líderes no Parlamento e enfrentará a resistência da oposição.

— Uma das propostas que precisa de mais tempo de discussão é a que cria o regime complementar de previdência para os servidores públicos estaduais. Se não tem efeito imediato, por que não debater com calma? — questiona o deputado Pedro Ruas (PSOL).

Pacote é insuficiente para resolver crise nas finanças do Estado

 

O texto é alvo de críticas do funcionalismo e desperta questionamentos. Desde agosto, líderes sindicais vêm pressionando o Palácio Piratini para que desista da alteração ou retire o projeto do regime de urgência. Até agora, ambos os pedidos foram negados pela Casa Civil.

— Tem gente que quer esperar para votar, mas há anos o tema da previdência é alvo de debates na Assembleia. Uma hora nós vamos ter de enfrentá-lo — afirma o líder do governo no Legislativo, Alexandre Postal (PMDB).

"Teríamos colocado em primeiro lugar os salários", afirma Tarso Genro

Quanto ao projeto que prevê aumento de impostos, Postal reconhece que o Piratini desistiu de tentar antecipar a votação. Nas últimas semanas, o parlamentar vinha falando com líderes de partidos adversários sobre o assunto, mas não conseguiu convencê-los da necessidade de apressar a tramitação.

— Agora isso já não faz mais sentido, porque a proposta começa a trancar a pauta na semana que vem — pondera.

O que ainda está em discussão é a possibilidade de limitar o tarifaço ao fim da gestão de Sartori — exigência feita por partidos como o PDT para dar aval ao projeto. Embora a cúpula do Executivo não confirme oficialmente, o assunto também deve ser tratado na reunião nesta segunda-feira.

Deputados da base divergem sobre tarifaço

Projetos do Poder Executivo que podem ser votados na terça-feira, dia 15 de setembro, na Assembleia:

Projeto de Lei nº 207

-Cria a Câmara de Conciliação de Precatórios, que permitirá a negociação de acordos com credores com desconto de 40% do valor da dívida.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: tende a desestimular o mercado paralelo dos precatórios e a ampliar o número de credores pagos.

PROJETO DE LEI Nº 212

-Inclui nas atribuições do Corpo Voluntário de Militares Inativos da BM atividades de videomonitoramento nos municípios que têm os equipamentos e necessitam de

servidores para operá-los.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: segundo o governo, a medida auxiliará as prefeituras na prevenção de crimes.

PROJETO DE LEI Nº 213

-Altera a lei que institui o Imposto sobre Doações ou Transmissões Causa Mortis (ITCD), cobrado em doações e herança. A ideia é restabelecer alíquotas progressivas.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: pode elevar a arrecadação anual em R$ 43,9 milhões.

PROJETO DE LEI Nº 215

-Extingue fundos públicos que já cumpriram finalidades e aqueles que estão inativos há três anos ou mais, atendendo ou não a suas finalidades.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: conforme o governo, a medida contribuirá para o "aperfeiçoamento da gestão financeira e orçamentária do Estado".

PROJETO DE LEI Nº 243

-Propõe mudanças na legislação para que possa avançar a transformação do Laboratório Farmacêutico do Estado (Lafergs) em empresa pública.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: a medida eliminaria amarras burocráticas que hoje dificultam a retomada da produção.

PROJETO DE LEI Nº 255

-Autoriza o Poder Executivo a prorrogar os contratos de sete cargos em comissão/funções gratificadas da Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: segundo o governo, tais profissionais são importantes para a rotina de trabalho da orquestra.

PROJETO DE LEI Nº 299

-Autoriza a extinção da Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul (Fundergs).

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: conforme o governo, a medida contribui para as "metas de controle de despesas" do Estado.

PROJETO DE LEI Nº 301

-Autoriza a extinção da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (Fepps).

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: conforme o governo,a medida contribui para o "enxugamento da máquina administrativa".

PROJETO DE LEI Nº 209

-Impede que o servidor público incorpore função gratificada (FG) para fins de aposentadoria se tiver obtido o benefício ao exercer o cargo em outro poder.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: a intenção do governo, com a proposta,é reduzir custos.

PROJETO DE LEI Nº 303

-Institui o regime de previdência complementar para os servidores públicos estaduais.

-Regime de tramitação: urgência.

-Repercussão: quem ingressar no serviço público terá de contratar previdência complementar se quiser receber

Confira quais são os projetos que trancam a pauta da Assembleia a partir de 20 de setembro e deverão ser votados na sessão do dia 22 de setembro (se não sair nenhum acordo antes):

Projeto de Lei nº 318

Modifica da lei do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), adiantando para 30 de abril a data-limite de pagamento (hoje é no mês de julho) e reduzindo os descontos ao bom motorista.

Regime de tramitação: urgência

Repercussão: o objetivo do governo é potencializar os ganhos com o IPVA

Projeto de Lei nº 319

Cria o Fundo de Proteção e Amparo Social, com a cobrança de adicional de dois pontos percentuais sobre TV por assinatura (hoje, de 12%), fumo, bebida alcoólica, cosméticos (25%) e refrigerante (18%).

Regime de tramitação: urgência

Repercussão: os recursos do Fundo deverão viabilizar a implementação da Política Estadual de Combate à Pobreza Extrema

Projeto de Lei nº 320

Eleva a alíquota básica do ICMS de 17% para 18% e aumenta de 25% para 30% do tributo sobre gasolina, álcool, telefonia e energia elétrica comercial e residencial acima de 50 kW por tempo indefinido.

Regime de tramitação: urgência

Repercussão: conforme o governo, a alteração pode injetar R$ 1,9 bilhão, por ano, no Poder Executivo estadual

Trancam a pauta da Assembleia a partir de oito de outubro e deverão ser votadas na sessão do dia 13 de outubro:

Projeto de Lei nº 336

Altera o limite de pagamento das Requisições de Pequeno Valor (RPVs) de 40 para sete salários mínimos.

Regime de tramitação: urgência

Repercussão: Reduzirá os custos do Estado com o pagamento dessas dívidas

Projeto de Lei nº 337**

Amplia o limite de uso dos depósitos judiciais para 95% do saldo - hoje, o teto é 85%.

Regime de tramitação: urgência

Repercussão: a medida pode injetar R$ 1 bilhão, de imediato, no Tesouro estadual

Obs.: há um outro projeto em tramitação, que reduz os juros cobrados pelos depósitos, que foi protocolado pelo Judiciário e não está em regime de urgência.

** Existe a expectativa de que as propostas envolvendo os depósitos judiciais sejam votadas antes, junto com o projeto que eleva o ICMS, no dia 22 de setembro.

Principais propostas em regime normal de tramitação, sem data para votação:

Projeto de Lei nº 300

Autoriza a extinção da Fundação Zoobotânica.

Repercussão: segundo o governo, a intenção é enxugar a máquina do Estado

Projeto de Lei nº 208

Autoriza o Banrisul a criar estrutura societária para atuar no ramo de distribuição de seguros, previdência aberta e capitalização.

Repercussão: a medida agregará valor ao Banrisul, valorizando suas ações e a distribuição de dividendos

Projeto de Lei nº 214

Projeto reduz em 30% os benefícios fiscais concedidos na forma de créditos presumidos (destinados a atrair investimentos) de 2016 a 2018.

Repercussão: aumento da arrecadação em R$ 300 milhões ao ano, até 2018

Projeto de Lei nº 206

Cria a Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual.

Repercussão: o principal objetivo é impedir gastos superiores à arrecadação do Estado

 

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/09/governo-quer-garantir-votacao-de-10-projetos-terca-feira-na-assembleia-4846805.html




ONLINE
11