Corte de gastos chega à Educação

Corte de gastos chega à Educação

Comissão também é criada na Defesa Civil Estadual

Fonte: Gazeta de Alagoas (AL) 13 de fevereiro de 2015

 

A Secretaria Estadual de Educação e a Defesa Civil criaram comissões especiais para tentar reduzir despesas nos órgãos e fazer a reavaliação e renegociação de contratos e das licitações. As portarias foram publicadas na edição de ontem do Diário Oficial do Estado.

A medida faz parte de uma série de ações que buscam devolver o equilíbrio financeiro ao Estado. No último dia 20, o governo determinou que os órgãos públicos de administração direta e indireta reavaliem e renegociem os contratos em vigor e as licitações para reduzir os preços dos serviços que foram fornecidos e diminuir a quantidade de licitações e contratações.

DESPESAS MENORES
Com relação à Educação, o texto destaca a necessidade de organizar as despesas do atual exercício orçamentário e financeiro e, por conseguinte, diminuir os gastos mensais da secretaria.

A comissão contará com a secretaria adjunta, Laura Cristiane de Souza; o coordenador de Finanças e Contabilidade, Jefferson Correia Cirqueira, e a coordenadora de Gestão Administrativa, Ana Carolina Beltrão Peixoto.

Confira notícia no site original aqui

 

Professores vão receber R$ 9 mil

Os Professores e monitores da rede estadual de Ensino devem receber, em média, R$ 9 mil após o rateio do Fundeb, aprovado na última quarta-feira pela Assembleia Legislativa Estadual (ALE). No total, são R$ 48 milhões em recursos do Fundo, que é voltado para a valorização do magistério.A categoria espera que até amanhã o governo do Estado deposite os recursos do rateio - os valores seriam equivalentes ao 14º e 15º salários dos servidores da Educação.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal), Consuelo Correia, o fato de a Secretaria de Educação do Estado ter programado o pagamento para o próximo sábado pode prejudicar a categoria. Isso porque as instituições bancárias podem não disponibilizar o pagamento antes do início do carnaval, em virtude do feriadão.

“Hoje, trabalhamos com a previsão do pagamento do rateio para o sábado, mas, caso não aconteça, o dinheiro estará nas contas dos profissionais depois do carnaval. Porém, há um trabalho intenso do governo junto aos bancos, no sentido de garantir que o depósito seja efetuado antes das festas carnavalescas”, explicou a presidente do Sinteal.

Confira notícia no site original aqui 




ONLINE
7