Basta!!

Basta!!

 

 Leiam a reportagem publicada no Jornal Correio do Povo de hoje (página 17), se pensam que este é um fato isolado, estão redondamente errados ou não conhecem o "chão da escola".

Se estes "alunos" tivessem sido, preventivamente, suspensos, por estarem sempre bêbados na escola, ou até mesmo transferidos compulsoriamente, as facadas não teriam acontecido, contra quem realmente quer estudar.

Mas os “iluminados” da Comissão Especial do Ceed que elaboraram a esdrúxula minuta de Parecer, não permitem tais ações disciplinares, uma vez que estes procedimentos, mesmo com previsão regimental, são entendidos como “medidas punitivas”, pois “eles” têm o “direito absoluto” em permanecer na escola.

Enquanto isto os professores se sentem ameaçados, e a esmagadora maioria dos alunos e seus pais, submetem-se ao fato, sendo, estes sim, privados de seu direito constitucional ao ensino.

Só não vê quem não quer, querem transformar o sentimento de impunidade (não dá nada), numa realidade, tanto nas escolas públicas como privadas. 

Querem vender gato por lebre. Chega de meias palavras o que está sendo proposto é uma vergonha.

Raul Filho

Acesse aqui o artigo do Correio do Povo




ONLINE
10