Analfabetismo funcional no Brasil

Analfabetismo funcional no Brasil

A evolução do analfabetismo funcional no Brasil

Catarina Pignato, Vitória Ostetti e Daniel Mariani

21 Nov 2016

O Brasil tem 27% de sua população entre 15 e 64 anos de analfabetos funcionais. Em 2001 e 2002, esse número era de 39%. Na zona rural são 41%

O Inaf (Indicador de Alfabetismo Funcional) é um levantamento realizado pelo Instituto Paulo Montenegro e pela ONG Ação Educativa, com o apoio do Ibope que mensura o nível de alfabetismo da população brasileira entre 15 e 64 anos, avaliando suas habilidades e práticas de leitura, de escrita e de matemática aplicadas ao cotidiano.

Em 2015 foram entrevistadas 2002 pessoas.

De acordo com a pontuação em questionários e testes práticos, os entrevistados são agrupados em 7 classes.

Estas são categorizadas em dois grupos (funcionalmente alfabetizados e analfabetos funcionais).


QUEM SÃO OS ANALFABETOS FUNCIONAIS

Analfabeto: não conseguem realizar tarefas simples envolvendo leitura de palavras e frases. Alguns conseguem ler números.

Rudimentares: possuem a capacidade de localizar informações em textos curtos, escrever e ler números

usuais e realizar operações matemáticas simples, como realizar pagamentos com dinheiro em pequenas quantias ou tirar medidas utilizando réguas e fita métrica.


FUNCIONALMENTE ALFABETIZADOS

Elementares: selecionam informações em textos diversos e de extensão média, fazendo pequenas inferências.

Resolvem problemas matemáticos com números em ordem de milhar que exigem planejamento como total de uma compra ou troco. Comparam e relacionam gráficos e tabelas envolvendo assuntos domésticos ou cotidianos.

Reconhecem também valores negativos, grandezas e pontuações em textos.

Intermediário: em relação ao letramento, conseguem localizar informações em diversos tipos de textos, bem como interpretá-los; fazem sínteses de textos diversos e reconhecem figuras de linguagem. Quanto ao numeramento resolvem problemas envolvendo interpretação e planejamento, tendo etapas sucessivas, como juros, proporções e porcentagens.

Proficiente: não possuem restrições para compreender e interpretar textos em situações usuais, lendo e analisando textos de maior complexidade. Conseguem diferenciar fato de opinião, avaliando também o contexto. Na matemática, interpretam tabelas e gráficos com mais de duas variáveis, compreendendo elementos como escala, tendências e projeções.

 

Fonte: IPM - Instituto Paulo Montenegro, com apoio do Ibope. *Observações: No gráfico sobre setores da economia, agricultura e pecuária incluem produção florestal e pesca; transporte inclui armazenagem e correio; indústria extrativista inclui indústria de transformação; saúde inclui serviços sociais; atividades financeiras inclui atividades administrativas.

 




ONLINE
7