A reforma do ensino médio

A reforma do ensino médio

Audiência pública debate a reforma do ensino médio

 

A Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia promoveu audiência pública sobre a implantação compulsória do ensino médio politécnico e a avaliação emancipatória, bem como suas repercussões na qualidade de ensino da rede pública estadual.

O debate, proposto pelos deputados Maria Helena Sartori e Gilberto Capoani (PMDB), foi realizado na manhã dessa terça-feira (12) no Teatro Dante Barone. A deputada Zilá Breitenbach (PSDB) conduziu os trabalhos.

Maria Helena justificou a audiência pelo fato de ter recebido diversas manifestações, de diferentes cidades, questionando das reformulações. A deputada quer saber o que está efetivamente acontecendo no ensino médio gaúcho. Ela está preocupada com a carga horária para seminários, que no terceiro ano chega a 75% do total. “Temos relatos que esse tempo virou hora livre.”

A presidente do Cpers/Sindicato, Rejane Oliveira, se posicionou de forma contrária a reformulação. Ela acredita que o que está sendo implantado no estado não é o ensino politécnico. Para a presidente, o politécnico deve garantir que os alunos da classe trabalhadora se desenvolvam em todas as dimensões e que tenham as mesmas condições dos estudantes das escolas privadas.

Para Rejane, o governo não fez um debate com a comunidade escolar e afirmou que a escola pública está a serviço do mercado e das necessidades do empresariado gaúcho. “Nossos estudantes esão perdendo a oportunidade de escolher uma profissão e chegar na universidade”

O Cpers defende ainda a aplicação de 35% da receita líquida do estado em educação. A presidente criticou ainda um projeto que tramita na Assembleia que instalaria a meritocracia no estado.
O encontro ainda contou com a presença de Letícia Moreira, vice-presidente da União Gaúcha dos Estudantes Secundaristas; Berenice Cabreira da Costa, presidente da Federação das Associações de Círculos de Pais e Mestres; Augusto Deon, representante do Conselho Estadual de Educação; e Maria Eulália Nascimento, secretária-adjunta da Educação, que se retirou antes de o debate encerrar.

Com informações do site da Assembleia Legislativa do RS




ONLINE
11