Ensino Fundamental de 9 anos

Ensino Fundamental de 9 anos

Entenda a equação do ano a mais no Ensino Fundamental

Instituições de ensino tiveram até 2010 para fazer a adaptação, e primeiras turmas do novo ciclo já se formaram em 2014

Fonte: Zero Hora (RS)    24 de fevereiro de 2015

 

O início do ano letivo tem um gostinho especial para os alunos da turma de 9º ano do colégio Anchieta. Além de estarem prestes a concluir uma etapa, são os primeiros da escola a terminar o Ensino Fundamental (EF) sob um novo regime.

Assim como diversos estudantes de escolas públicas e privadas, ingressaram no EF sob um calendário mais comprido, com um ano incluído no início da vida escolar. Em 2015, fecham um ciclo importante para a própria vida estudantil e para o futuro das escolas.

A reforma de fevereiro de 2006 estabeleceu, por lei, a duração mínima de nove anos para o EF, com matrícula obrigatória a partir dos seis anos. Até então, a duração era de oito anos, divididos em séries, com ingresso aos sete anos.

A partir da aprovação do novo regime, municípios, Estados e Distrito Federal tiveram até 2010 para pôr em prática a medida. Para instituições de ensino que aderiram ao novo sistema imediatamente, em 2014 se formaram as primeiras turmas de 9º ano. Para as demais, as mudanças seguem ocorrendo, e os dois regimes funcionam de forma concomitante nos colégios.

A diretora do Departamento Pedagógico da Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul (SEC), Leila Schaan, explica que, ao longo deste período, os conteúdos foram adequados ao novo regime, sendo que as principais mudanças ocorreram na metodologia de ensino dos três primeiros anos:

— No decorrer desse período, elas são alfabetizadas de diferentes maneiras, sendo respeitadas em seu tempo. Nessa fase, muitas crianças possuem necessidade de um maior estímulo para que ocorra a aprendizagem de acordo com o seu desenvolvimento cognitivo, afetivo e psicomotor.

Conforme a assessora pedagógica e de legislação educacional do Sindicato do Ensino Privado (Sinepe), Naime Pigatto, a reformulação também serviu para as escolas readequarem os conteúdos conforme um novo perfil de estudante, mais conectado e interativo:

— A mudança proporcionou às instituições a construção de novos projetos pedagógicos e um novo olhar para a organização curricular, tendo em vista a interdisciplinaridade e as habilidades e competências que devem ser desenvolvidas em cada ano.

Pedagoga e professora da graduação em Pedagogia da Unisinos, Regina Urmersbach entende que este é o momento de as escolas refletirem sobre as implicações das alterações nos primeiros anos de ensino, já que muitas aderiram ao novo sistema de forma despreparada:

— Algumas alterações foram feitas sem uma orientação clara e sem uma discussão aprofundada. O novo regime surgiu como uma forma de aproximar as crianças da escola e qualificar o aprendizado, mas em nenhum momento para abreviar a infância, o que acredito que esteja ocorrendo em algumas escolas.

Que mudança é esta? Quando ocorreu?

Em fevereiro de 2006, a Lei n° 11.274 foi sancionada pelo presidente da República. A decisão do Ministério da Educação foi de que todas as escolas, públicas e particulares, deveriam aderir ao novo sistema de Ensino Fundamental de nove anos. As instituições tiveram até 2010 para se adequarem. Algumas fizeram alterações imediatamente, outras, nos anos seguintes.

Para que serve?

Em vários países, o sistema de nove anos já é usado. Especialistas defendem que, ao entrar com seis anos na escola, as crianças têm mais tempo de adaptação e já podem começar com o processo de alfabetização, de forma lenta e gradual, com espaço para brincadeiras.

Com que idade é possível ingressar no EF?

Pode ingressar no 1° ano quem completar seis anos até 31 de março. Quem fizer seis anos após este dia deverá frequentar a Educação Infantil e esperar o próximo ano para entrar no EF.

Estes alunos vão se formar mais tarde?

Não, eles passam para o Ensino Médio com a mesma idade. A ampliação dos anos ocorre no início da vida escolar. O que em algumas escolas era chamado de jardim B ou jardim 3 passou a ser o primeiro ano do Ensino Fundamental.

Em algumas escolas há alunos cursando a 8ª série e outros fazendo o 8º ano. Como se explica a diferença?

Quem está na 8ª série faz parte de um sistema de oito anos de duração, que, aos poucos, está sendo extinto. Quem está no 8º ano entrou na escola mais cedo, em um novo sistema do EF que dura nove anos. Este aluno é mais novo do que aquele que cursa a 8ª série. Além disso, os conteúdos em sala de aula também são diferentes.

A antiga primeira série agora é diluída no 1º e 2º anos? Os conteúdos trabalhados são os mesmos que eram trabalhados em um ano?

O 1º e o 2º ano do EF de nove anos têm conteúdos diferentes. Antes, o aluno deveria sair alfabetizado da 1ª série, hoje ele tem um tempo maior para aprender a ler e a escrever. Esse tempo é chamado de ciclo alfabetizador e é de até três anos.

Do 2º ano em diante, os conteúdos vão se ajustando? 3º ano corresponde à 2ª série e assim por diante?

Não. Com a ampliação de um ano, os conteúdos foram revistos e redistribuídos entre os anos do novo Ensino Fundamental. Mas essa organização pode variar de escola para escola, pois apresentam projetos pedagógicos diferentes.

Leia a reportagem no site original aqui.  




ONLINE
11