Em que estado encontram-se as escolas públicas?

Em que estado encontram-se as escolas públicas?

 

Em que estado encontram-se as escolas públicas?

Regina Milone



Em que estado encontram-se as escolas públicas em nosso país, no que diz respeito à manutenção do espaço físico?


Escola de samba


Lendo um dos últimos textos do Declev aqui, só posso concordar com sua indignação em relação ao espaço físico das escolas e sua (falta de) manutenção. É um completo absurdo!!! Por isso estou escrevendo esse texto, para reforçar o que ele escreveu.



Várias vezes, em várias escolas, tive que lidar com: infiltrações, rachaduras nas paredes, pichações, falta de material didático e de espaço adequado para guardá-los, ventiladores que não funcionam, janelas quebradas, problemas elétricos…


Certa vez, eu estava com uma turma de 6º ano quando começou a PEGAR FOGO na sala ao lado, por causa de um curto que deu no ventilador de lá, que já estava dando choque há um tempão (já havíamos notificado e pedido providências à Secretaria de Educação várias vezes). Muita fumaça, gritos, mas todos acabamos conseguindo sair, mesmo assim. Tentei frear o pânico, o que foi bem difícil naquela situação, pois os alunos ficaram, com razão, muito assustados. O que salvou a todos foi o extintor de incêndio do carro da professora Cristina, que ela pegou rapidamente para apagar o fogo. A presença de espírito daquela professora (que era uma excelente profª de ciências), salvou a todos. A escola não tinha extintor!!!!!!!!!!!!! E cada sala de aula só tinha uma porta para servir tanto de entrada quanto de saída. Por isso, mesmo estando na sala ao lado, saímos tendo que passar pertíssimo do fogo, já que as portas eram coladas uma na outra e o ventilador que pegou fogo era logo o que ficava mais perto da porta!! Imaginem o perigo que passamos!!!


E um último detalhe sobre esse caso do fogo no ventilador: todas as janelas eram gradeadas lá, nas salas de aula, e, portanto, a única forma de sair era realmente pela porta, onde justamente a fumaça era maior e o fogo começava a se espalhar…


Será que terá que acontecer um incêndio maior, como o da boate em Santa Maria (RS), com morte de jovens, para tomarem alguma providência em relação ao estado do espaço físico das escolas???

Parece que as coisas só funcionam assim em nosso país! E, mesmo assim, só enquanto aquilo é notícia, pois depois todo mundo esquece.


Outro caso do tipo, menos grave, que assisti acontecer: um quadro negro enorme (daqueles antigos mesmo, onde só se usa giz, e que ainda são maioria nas escolas públicas do país, causando problemas respiratórios e alérgicos em alunos e professores, muitas vezes, entre outros males), durante uma aula, simplesmente caiu com um enorme estrondo, quase em cima dos pés da professora. Passou raspando. Era um quadro pesado. A parede por trás dele estava cheia de infiltrações, claro. A professora teve que encostar o quadro na parede, apoiado no chão, para poder continuar a aula, tendo que se agachar para poder continuar escrevendo alguma coisa nele.

Onde vão parar as verbas, já mínimas, para a educação???


Cansamos (nós, profissionais das escolas) de enviar ofícios, telefonar, pagar até do próprio bolso (muitas vezes), entre outras providências, para buscar soluções para problemas como os citados aqui.



Essa é a realidade das escolas públicas e teríamos que acionar o Ministério Público todos os dias, se apelássemos apenas para esse tipo de “solução”.


As mil etapas burocráticas pelas quais uma obra na escola tem que passar até um problema, muitas vezes simples, poder ser resolvido é um absurdo!!


Dei apenas dois exemplos aqui, mas poderia dar milhares! O que acontece é uma violência sem tamanho! Um descaso político de deixar qualquer educador, verdadeiramente comprometido com uma educação de qualidade, totalmente indignado!


Alguém poderá dizer, ao ler esse texto: mas é a própria comunidade que depreda a escola! Nem sempre. Muitas e muitas vezes não é. E, quanto é a comunidade, o que podemos fazer é continuar trabalhando no sentido de educar alunos e pais em relação ao significado do que é público: aquilo que é de todos e, portanto, responsabilidade de todos também, e não aquilo que não é de ninguém, como os depredadores costumam pensar ao destruírem partes das escolas.


E vocês, que estão lendo esse texto, o que já viram e viveram nas escolas em relação a essas questões???


É uma vergonha o que acontece nesse nosso país de absurdos…


Abraços,

Regina Milone.

Pedagoga, Arteterapeuta e Psicóloga.

 

http://www.diariodoprofessor.com/2013/03/23/em-que-estado-encontram-se-as-escolas-publicas-em-nosso-pais-no-que-diz-respeito-a-manutencao-do-espaco-fisico/




ONLINE
9