Investimento em saúde e educação

Investimento em saúde e educação

O exemplo de quem investiu mais em 2012


Dois municípios serranos, com economia rural e não mais do que 2,5 mil habitantes, foram os campeões de investimento per capita em saúde e educação no RS em 2012. De acordo com dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Pinhal da Serra e Vista Alegre do Prata também se destacaram por destinar uma fatia maior do que a exigida para as duas áreas.

O TCE é responsável por fiscalizar o cumprimento da legislação e garantir que os prefeitos apliquem 15% da receita líquida em saúde e 25% no ensino. Ontem, ZH mostrou que as exigências foram atendidas por todas administrações em 2012, exceto Canela, que destinou 24,1% ao sistema educacional.


No que se refere à saúde, Vista Alegre do Prata conquistou o topo do ranking ao injetar R$ 1.343 por morador. A título de comparação, em 31% das prefeituras o valor não passou de R$ 300. Na educação, Pinhal da Serra ficou em primeiro lugar, com R$ 2.245 per capita.


Os dois municípios se caracterizam por arrecadações modestas, mas também por darem prioridade aos dois setores. Como ambos têm poucos moradores, na proporção os valores ganham peso.


Isso não significa que inexistam problemas.

Em Pinhal da Serra, os índices educacionais mais recentes deixam a desejar. Em Vista Alegre do Prata, não há hospital, e os doentes precisam se deslocar para outras cidades. Ainda assim, os gestores acreditam que é possível superar as lacunas e têm uma vantagem em relação aos prefeitos dos grandes centros. Tende a ser menos complexo gerir municípios de pequeno porte.

Há uma brincadeira corrente entre os moradores de Vista Alegre do Prata: a proximidade é tanta que os médicos sabem até os nomes dos cães dos pacientes. A espera por uma consulta no SUS não costuma ir além de 48 horas, e o acompanhamento é individual.


– Sempre sou muito bem atendido. Melhor do que isso não precisa – afirma o agricultor Ademir Tomé.


Em maio, a prefeitura inaugurou dois postos com ajuda estadual e federal. Eles são motivo de orgulho na comunidade, que conta com a assistência de clínicos gerais, especialistas e dentistas.


– Investimos bastante, mas ainda temos problemas. Não é fácil – diz o prefeito Ricardo Bidese (PMDB).


Colaboraram Cleidi Pereira e Thais Martins
juliana.bublitz@zerohora.com.br

JULIANA BUBLITZ

Bolsa ajuda a reduzir o êxodo rural
Em Pinhal da Serra, o investimento em educação é encarado como uma forma de garantir que os jovens permaneçam no campo.

A concessão de bolsa mensal de R$ 222 para alunos do ensino técnico agrícola é uma das medidas adotadas para evitar o êxodo.


Além disso, de acordo com o secretário de Educação, José do Prado, mais de 30% dos R$ 4,8 milhões aplicados na área em 2012 foram gastos com o transporte escolar e universitário.


Esses investimentos, porém, ainda refletem em indicadores como o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).


A cidade aparece como 444ª colocada no ranking de educação do IDHM (cujo cálculo tem base no Censo 2010), e seu Ideb ficou em 4,4 (abaixo da meta de 5,2), em 2011.


– Fico triste, mas isso não reflete a nossa realidade. Nos últimos quatro anos, a repetência de primeira a quarta série caiu. Era de 40% a 70% e foi a menos de 2% – diz Prado.


A rede municipal é composta por duas escolas, 28 professores e 300 estudantes. Para o ano que vem, a meta é inaugurar uma creche – que está em construção e receberá até 60 crianças – e regulamentar o ensino integral nas escolas municipais.

 Zero Hora
Translate this Page




ONLINE
5